Conferência de abertura discute a implementação da Agenda 2030 e as universidades

A programação do primeiro dia do 11º Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão (Siepe) encerrou com a Conferência Magna de Abertura intitulada “Implementação da Agenda 2030 e as Universidades”, ministrada pelo professor da Universidade de Brasília (UnB), Thiago Gehre Galvão. A atividade ocorreu no Parque Internacional, na noite desta terça-feira, 22.

O docente explicou a proposta da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que traz 17 objetivos, 169 metas e 241 indicadores para o Desenvolvimento Sustentável. Galvão apresentou exemplos desenvolvidos na Universidade de Brasília como o Programa UnB 2030 de Desenvolvimento Sustentável Inclusivo, que reúne todos os projetos e ações de extensão da universidade que têm relação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Galvão discutiu ainda o papel das universidades para implementação da Agenda 2030: “Temos capacidade de usar a Agenda 2030 de uma maneira bastante estratégica”, declarou. Segundo o conferencista, “as universidades têm papeis múltiplos desde o processo de tradução para as pessoas, até a localização da Agenda, do global para o local”. Galvão complementa: “A universidade com seu tripé ensino, pesquisa e extensão tem total condição de ajudar nesse processo de implementação da Agenda”. Além disso, destaca a importância do mapeamento do que já está sendo feito para identificar o que ainda precisa ser realizado. “Desde política pública, até o hábito social, o que a gente chama de política do dia a dia, ou seja, a mudança de hábitos”, explica.

Quais são os 17 objetivos da Agenda 2030?

A Agenda 2030 traz 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS). São eles: erradicação da pobreza; fome zero e agricultura sustentável; saúde e bem-estar; educação de qualidade; igualdade de gênero; água potável e saneamento; energia limpa e acessível; trabalho decente e crescimento econômico; indústria, inovação e infraestrutura; redução das desigualdades; cidades e comunidades sustentáveis; consumo e produção responsáveis; ação contra a mudança global do clima; vida na água; vida terrestre; paz, justiça e instituições eficazes; parcerias e meios de implementação.

Quem perdeu a conferência ou deseja revê-la, pode assisti-la na página oficial da Unipampa no Facebook.